Afeganistão Hoje: Uma Brasileira Que Foi a Turismo

por Leticia Sales junho 18, 2020

turismo no afeganistao

Você já parou para imaginar como é o Afeganistão hoje? Como são as ruas, as pessoas, os lugares? Tudo o que a gente ouve falar sobre o Afeganistão é guerra e destruição. Mas será que tem mais além disso?

Recentemente conhecemos a Ana Maria Brogliato, do blog Viagens e Beleza, que também tem um canal no youtube. Sem dúvida, uma das pessoas mais fascinantes, e vocês ainda verão ela por aqui! A Ana é brasileira, e foi conhecer o Afeganistão. Assim como nós, ela gosta de conhecer lugares pouco convencionais.

Ela é gaúcha, publicitária, e seu trabalho é 100% online. Entao, ela passa boa parte do ano viajando para diferentes países enquanto trabalha. Em 5 anos ela conheceu 25 países em 4 continentes, sendo que já viajou várias vezes para um único país. Só na Índia foram 5 vezes, incluindo um período em que morou no país, entre 2018 e 2019. Vamos conhecer o Afeganistão hoje virtualmente com ela? Confira o vídeo e o relato abaixo:

 

A CHEGADA AO AFEGANISTÃO

Ao chegar em Cabul, numa tarde de maio de 2018, eu estava pura ansiedade e a adrenalina à mil. Eu já sabia que seria obrigada a cobrir o corpo todo e a cabeça, então comprei 2 abayas em Delhi e alguns lenços para usar como hijab. Peguei o voo em Delhi vestindo a abaya, pois com roupas ocidentais eu já sabia que não seria permitida minha entrada no país.

Eu passei 11 dias no Afeganistão e visitei Cabul, Vale do Panjshir, Herat, Mazar-e-Sharif e a Província de Balkh. Ficou de fora Bamyan e Band-e-Amir porque os voos para lá foram cancelados e eu não puder visitar. Eu retornaria para o Afeganistão para visitar estes lugares em março de 2020, mas aí veio o lockdown e não foi possível.

 

VISTO PARA O AFEGANISTÃO

Não existe representação diplomática no Brasil desde 2005, quando fechou a embaixada em Brasília. A embaixada mais próxima fica em Washington DC, Estados Unidos.

Brasileiros que pretendem tirar o visto para o país podem optar por tirar em qualquer país da Europa, Oriente Médio ou Ásia, que tenha uma embaixada do Afeganistão. Eu apliquei meu visto na Embaixada do Afeganistão em Nova Deli, Índia, então vou contar como foi nesta embaixada.

É necessário levar 2 fotos, no exato tamanho descrito no site da embaixada (não lembro agora o tamanho), preencher um formulário extenso, com 3 páginas, e depois fazer uma entrevista com um agente da embaixada (tudo em inglês). Se a entrevista for bem sucedida, ele encaminha para o pagamento da taxa de US$ 80, que deve ser em dinheiro. O passaporte fica retido por cerca de 3 dias úteis. Se tiver fim de semana, o passaporte fica 5 dias em poder da embaixada.

Ao viajar para o Afeganistão, o Itamaraty recomenda que brasileiros registrem sua ida, itinerário, tempo de viagem, etc, na Embaixada do Brasil em Islamabad, no Paquistão, porque se algo errado acontecer serão eles que irão prestar ajuda.

 

O AFEGANISTÃO É SEGURO?

Mulher usando Burca

Ana Maria teve que usar burca para atravessar algumas áreas do país

 

Atentados são muito comuns em Cabul e a cidade é extremamente vigiada, não se pode fotografar tudo o que se vê, mas nas outras cidades é bem mais tranquilo.

Por não ser muçulmana, eu não pude entrar em nenhuma mesquita, mas pude entrar no pátio das mesmas. Ao andar pelas ruas de Cabul eu me sentia em um filme de Moisés, pois tudo lá é muito antigo.

No Vale do Panjshir eu visitei o Mausoléu de Ahmad Sha Massoud, que foi o lidera afegão que conseguiu expulsar os russos do Afeganistão. Este mausoléu custou 6 milhões de dólares. Massoud foi assassinado por falsos jornalistas belgas, a mando do Al Qaeda, em 9 de setembro de 2001, dois dias antes dos atentados às torres gêmeas em Nova York. Por causa deste atentado, onde bombas escondidas em falsas câmeras fotográficas explodiram,  ao visitar a maioria dos lugares, eu precisei ligar minha câmera para provar que era uma câmera de verdade, não um artefato de explosão.

Para o Afeganistão, terrorista não possui rosto, todo mundo é suspeito, por isso os cuidados e revistas são bem severos e, mesmo assim, não conseguem evitar atentados.

 

 PONTOS ALTOS DA VIAGEM

Friday Mosque, Herat

Friday Mosque, Herat

 

Em Herat visitei a Friday Mosque, uma mesquita belíssima (mesmo entrando apenas no pátio interno, valeu muito  à pena) e, ao lado desta mesquita, visitei uma antiga fábrica de azulejos, que atualmente possui 3 gerações trabalhando lá e executa o mesmo processo de fabricação de azulejos há séculos.

Ainda em Herat, visitei o Museu da Guerra, que mostra as atrocidades cometidas pelos russos quando invadiram o Afeganistão. Quando foram expulsos pelas tropas comandas por Massoud, deixaram para trás tanques de guerra, aviões, helicópteros, canhões e uma infinidade de armas, atualmente expostas neste museu.

Mas o que mais me impressionou em Herat foram os 5 minaretes, chamados de Musalla Minarets, que são 5 enormes torres em ruínas, construídos pela Rainha Gawhar Shad, no ano de 1417.

Ciradela de Herat

Ciradela de Herat

Tudo lá ainda é original, nada foi restaurado. E o que foi destruído de se deve às guerras no Afeganistão. Visitei também a Citadela de Herat, cuja original foi construída por Alexandre, o Grande, quando conquistou o Afeganistão, no ano 330 a.C..  Ainda há partes da construção original lá.

Mesquita Azul em Mazar-e-Sharif

Mesquita Azul em Mazar-e-Sharif

Em Mazar-e-Sharif visitei a Mesquita azul, que foi totalmente destruída por Gengis Khan no ano 1200, quando o mesmo invadiu  o Afeganistão. Esta mesquita é um dos mais belos exemplos da arquitetura islâmica na Ásia.

 

VALEU A PENA VIAJAR PARA O AFEGANISTÃO?

O Afeganistão é um país incrível, beleza ímpar, povo acolhedor e curioso. Foi uma das viagens mais fascinantes que eu fiz na vida, por isso quero visitar os lugares que faltaram (os que não estão sob controle do Talibã). Era para eu ter voltado em 2020, mas o lockdown impediu a minha viagem.

Porém, não recomendo viagens sem acompanhamento de uma agência local autorizada pelo governo do Afeganistão, porque cerca de 70% do território é controlado pelos talibãs e a gente nunca sabe onde eles estão. Pode-se topar com eles em qualquer lugar e correr riscos desnecessários.

Rosas no Afeganistao

Rosas no Afeganistão

Como eu fui na primavera, o país estava todo florido e as rosas do Afeganistão, que eles cham de Mursal Flowers são belíssimas, com cor e perfume muito intensos. Em Cabul me impressionei com a Mesquita Sakhi Shrine e com os Jardins de Babur, onde visitei o túmulo de Babur, o primeiro imperador Mughal da história.

 

A HOSPITALIDADE DO POVO AFEGÃO

Durante a minha viagem pelo Afeganistão, procurei fotografar e filmar o que o país tem de mais belo, pois guerra e destruição a mídia tradicional já mostra.

Em vários momentos da viagem eu recebia agradecimentos de afegãos por visitar o país. Me diziam obrigado, sabemos que você é corajosa por visitar o  nosso país, por isso somos muito gratos.

Antes de deixar o Afeganistão recebi uma declaração emocionante do meu guia, me agradecendo por tudo o que eu gravei sobre o país e dizendo que pessoas como eu são uma esperança para o Afeganistão, que eles precisam de quem olha para eles com um olhar mais profundo, de pessoas que enxergam que lá existem pessoas que estão cansadas de tanta guerra e do mundo olhar para eles apenas com olhares negativos.

 

Gostou do relato da Ana? Impressionante, não? Não deixe de conferir nossos outros posts sobre viagem e nossa marca com impacto social na Índia!




Leticia Sales
Leticia Sales

Autor



Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.