Must Watch: Estrelas Além do Tempo

Fevereiro 11, 2017

Must Watch: Estrelas Além do Tempo

O post de hoje é um must watch. O filme "Estrelas Além do Tempo" está em cartaz no Brasil, e eu adorei! Sendo uma mulher, é certamente um dos filmes mais inspiradores que eu já assisti.


Enredo

O filme conta a história da vida real de Katherine Johnson, Mary Jackson e Dorothy Vaughn, três mulheres negras que são "computadores humanos" na NASA entre os anos 1950 e 1960, um lugar que estava desenvolvendo tecnologia avançada o suficiente para enviar a humanidade para a lua, sendo que em seus próprios escritórios, não havia humanidade o suficiente. 

Em meio à Guerra Fria, o mundo estava segregado entre comunismo e capitalismo, com Estados Unidos e União Soviética  correndo contra o tempo para conquistar o espaço. Enquanto isso, os próprios Estados Unidos estavam segregados, com leis que proibiam os negros de compartilhar os mesmos espaços em ônibus, escolas, bibliotecas e muitos outros ambientes com pessoas brancas.

poster do filme Estrelas Alem do Tempo

Cartaz com as personagens Mary Jackson, Katherine Johnson e Dorothy Vaughn.

Para 3 mulheres negras, ser formada e também trabalhar na NASA já era uma conquista. Mas estava longe de ser perfeito, pois sofriam discriminação no trabalho, sendo mantidas em escritórios separados e apenas sendo autorizadas a usar banheiros para "pessoas de cor".

O que é inspirador sobre este filme é que muitas pessoas teriam se contentado em serem matemáticas na NASA, mas elas foram além. Todas as três realizam conquistas  pessoais notáveis (sem spoilers aqui ;) ) ao longo de suas vidas, sendo as primeiras mulheres ou primeiras pessoas afro-americanas (ou ambos!) em suas realizações.

hidden movies poster with katherine johnson

Como Katherine Johnson cita no filme, "Eu trabalho lá não porque eu uso uma saia, mas porque eu uso óculos".

É difícil não notar que apenas 60 anos atrás, as pessoas não podiam usar os mesmos banheiros ou ir para as mesmas escolas apenas por causa de sua cor da pele. Em outras palavras, quando meu pai nasceu, a segregação racial era a norma em muitos lugares. O filme nos lembra o progresso que fizemos, mas também o quanto ainda temos que lutar para alcançar a igualdade como humanidade (Trump, alguém?).

Quebrando estigmas


Dia após dia, suas fortes personalidades e determinação as faz quebrar estigmas e realizarem seus sonhos. Em certo ponto, uma das mulheres apresenta uma petição no tribunal para que ela possa assistir às aulas em uma escola para brancos, algo nunca feito antes. Ela faz um discurso emocionante sobre como ela tem que se tornar a primeira a faze-lo, e isso me fez perceber uma coisa.

mulheres negras trabalhando na Nasa - Estrelas Alem do Tempo

Mulheres negras trabalhando em escritórios separados na NASA

Depois de 3 anos vivendo na Índia como mulher solteira, por mais eu eu ame o país, posso dizer que não é fácil. Não há muitos estrangeiros ao redor, não há muitas mulheres solteiras que vivem sozinhas. E apenas por ser eu mesma, combino três estigmas: ser estrangeira (muitas pessoas acreditam que a cultura ocidental vai arruinar a cultura indiana), ser solteira aos 30 anos, e ser mulher.

Além disso, poucas mulheres, menos ainda estrangeiras, possuem um negócio, então às vezes é difícil e solitário, pois poucas pessoas podem entender o que eu passo no meu dia-a-dia, e muitas pessoas me julgam e criam suposições, simplesmente por não conhecerem um outro jeito de viver ou fazer as coisas. Então diria que é como uma caminhada na lua: difícil, mas vale a pena.


Discriminação de gênero hoje em dia

Durante estes 3 anos, fui discriminada várias vezes por ser mulher, e por ser estrangeira. Já fui assediada, molestada, humilhada (não só por homens, mas por mulheres também). Já houveram corretores de imóveis que me disseram na minha cara mais de uma vez que eu não poderia alugar um apartamento porque as pessoas pensariam que eu sou prostituta. Em uma ocasião, um deles até mesmo me ofereceu morar de graça em um apartamento em troca de "companhia aos sábados à noite". Sério.

Sou considerada "velha demais para ser solteira", já houveram senhorios e fornecedores que respondiam apenas à homens quando eu lhes fazia uma pergunta. Fiquei muito mais tempo do que pensei que pudesse suportar, mesmo quando toda a força e a fé deixaram meu corpo. Chorei muito mais do que eu desejava, e muitas vezes eu me perguntei "o que eu ainda estou fazendo aqui?"

Mas no dia seguinte, a resposta foi sempre a mesma que foi para aquelas mulheres na NASA. Eu simplesmente não posso desistir de meus sonhos só porque alguém me disse para desistir, porque alguém foi injusto ou me julgou mal, só porque fica muito difícil às vezes, ou apenas porque as pessoas vão me criticar devido ao fato de não estarem acostumados a ver uma mulher faze-lo. Porque o fato é - nós não somos uma minoria, e nós não devemos ser tratadas como tal!

 

placa em metrô japonês em vagão exclusivo para mulheres

 Mulheres só carro no trem no Japão, prática comum em muitos países.


Quando não estou na Índia, a outra metade do meu ano é passada em São Paulo, Brasil, uma cidade e um país que tem mais mulheres do que homens, mas de alguma forma ainda somos tratadas como minorias. Precisamos de vagões apenas para mulheres no metrô, assentos apenas para mulheres em ônibus, lei para proteger mulheres da violência doméstica, e a maioria de nós tem medo de sair sozinha nas ruas à noite. E o mesmo vale para os negros, que representam mais de metade da nossa população, mas ainda sofrem discriminação. Por quê?

Este filme é um lembrete realmente inspirador de que não devemos nos conformar com menos do que merecemos apenas porque as pessoas estão constantemente tentando nos derrubar. Precisamos mudar o modo como as mulheres são vistas, e quebrar esses estigmas. E certamente também é um lembrete de que você e eu, como essas mulheres pioneiras, também podemos fazer algo grandioso para empurrar a humanidade para a frente. Assista ao filme e eu garanto que você não vai se arrepender. ;)

Tenha uma ótima semana,

Leticia



Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.

Guia de tamanhos

Caso você tenha alguma dúvida sobre o tamanho que deve comprar, pedimos que siga os passos abaixo para medir o seu pé, e então cheque nas tabelas abaixo o tamanho de calçado que corresponde ao comprimento do seu pé em centímetros. 

1. Em pé, coloque uma folha de papel debaixo do seu pé. Desenhe o contorno do seu pé com um lápis, conforme figura. 

2. Com uma régua ou fita métrica, meça o tamanho do seu pé, do calcanhar à ponta dedo mais comprido.

 

   SAPATILHAS
PAÍS TAMANHO

UK/INDIA

6

6.5

7

7.5

8

8.5

 

EUROPA

38

38/39

39

39/40

40

41

 

BRASIL*

36

36.5

37

37.5

38

39

 

EUA

7

7.5

8

8.5

9

9.5

 

CENTÍMETROS (PÉ) 23.8 24.1 24.6 25.1 25.4 25.9

 

   MOJARIS
PAÍS TAMANHO

UK/INDIA

2

3

4

5

6

6.5

 

EUROPA

35

36

37

38

39

40

 

BRASIL*

33

34

35

36

37

38

 

EUA

4

5

6

7

8

9

 

CENTÍMETROS (PÉ) 21,3 22,2 23 23,8 24,6 25,4

 

*Se você está vendo o site em português, a numeração já está convertida para a numeração brasileira.

*Nossas sapatilhas servem confortavelmente. As mojaris, no entanto, são um tipo de calçado naturalmente mais justo, pois de ajustam ao pé conforme o uso. 

*Esta tabela pode variar um pouco da tabela de outras marcas, uma vez que não há padrão internacional para tamanhos de sapatos. 

*Caso você ainda tenha dúvidas em relação ao seu tamanho, envie um e-mail para info@iamhappee.com, e responderemos o mais rápido possível. :) 

 

Se cadastre para nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades e nossas ofertas exclusivas!