COMPRE ONLINE OU POR WHATSAPP (11) 9888-44945

O que fez uma brasileira como eu ir morar na Índia

por Leticia Sales outubro 14, 2019 1 Comentário

Brasileira na Índia

O COMEÇO DE TUDO

Após o Reveillon em Floripa


01 de janeiro de 2013.

Essa foto foi tirada ao raiar do sol, voltando de uma super festa de Reveillon em Floripa. Essa noite foi especial, por que eu já havia decidido alguns meses antes que queria morar fora, mas nada estava definido. Então era um início de ano cheio de sonhos, expectativas e aquele frio na barriga.

Eu não sabia pra onde eu iria, mas se você me perguntasse pra onde eu NÃO iria, a Índia com certeza estava na lista.

Em 2013, eu era uma jovem de 26 anos. Paranaense, de Londrina, formada em moda em São Paulo. Trabalhava com marketing de moda pra marcas brasileiras, e estava vivendo uma fase incrível. Saía com as amigas nos finais de semana, trabalhava, tinha uma vida ótima e confortável. Mas faltava alguma coisa.

Então, resolvi realizar um sonho que tinha desde os 8 anos de idade: o de morar fora e conhecer o mundo. Mas como fazer isso? Se eu fosse para um mestrado, teria que parar de trabalhar, e isso eu não queria.

Aí comecei a procurar oportunidades de trabalho ou estágio remunerado. Foi aí que encontrei o programa de estágio remunerado da AIESEC.
Assim que me inscrevi, eu já recebi um e-mail de um indiano, me dizendo sobre uma vaga em Jaipur. Fiquei impressionada – “como ele já conseguiu me encontrar no sistema? Mal confirmei, e ainda não passou um dia sequer!” Porém, para mim, morar fora se resumia a América do Norte, Europa e talvez Austrália. Basicamente um punhado de países desenvolvidos. Afinal, é isso o que a maioria dos brasileiros pensa quando considera morar fora. Então, apenas ignorei o e-mail que recebi.

Além disso, isso foi apenas alguns meses após um infame caso de estupro coletivo em Delhi, então não queria ir pra Índia de jeito nenhum. Tinha o maior preconceito e pré-conceito, aquela coisa toda.

Eu não sabia quase nada sobre a Índia. Sabia sobre o sistema de castas, que havia muita pobreza, sujeira, calor e comida picante. Só.
Mas então por que eu mudei de ideia?

 

O QUE ME FEZ MUDAR DE IDÉIA

Cerca de um mês após eu começar a me candidatar para vagas no mundo todo, houve um caso de estupro coletivo de uma turista americana no Rio.

Aquela tragédia me fez pensar “os gringos devem estar todos com uma imagem péssima do Brasil, da mesma maneira que eu estou da Índia. Será que a Índia é SÓ isso de ruim que a mídia fala? Ou teria sido a Índia mais um país injustiçado que só vira notícia global em caso de tragédia?”

A parte mais importante de viajar é ver outras culturas com os próprios olhos. Entender que existe uma imensidão de vida que a mídia não cobre – afinal, só notícia ruim dá ibope.

O mundo do lado de fora é um verdadeiro caldeirão de idiomas, hábitos, comidas e minúcias tão complexas que, para entendê-las, pode levar anos a um forasteiro desavisado.

Todos os países são MUITO mais do que seus estereótipos. São lindos, incríveis, profundos, marcantes e únicos, cada um do seu jeito.
Noções meramente estereotipadas são para quem não se atreve a sair da superfície desse caldeirão cultural. E a Índia com certeza não é pra quem não gosta de mergulhar em outra cultura, nas profundezas de toda a sua complexidade.

Enfim, aquele rapaz indiano continuava a me mandar e-mails incessantemente, então resolvi entrar em contato com ele. Em Jaipur, haviam várias vagas na indústria da moda, pois a cidade é um grande polo de produção e exportação têxtil na Índia.

Ele marcou entrevista em uma empresa que, após uns dias, parou de responder.
Então, ele marcou entrevista em segunda empresa, que fabricava roupas para marcas como M. Oficcer, Pernambucanas, Marisa e Havan.

E é aí que entra a parte do destino. Essa história me arrepia até hoje só de lembrar. Confiram no próximo post!




Leticia Sales
Leticia Sales

Autor



1 Resposta

Noemi mau
Noemi mau

abril 26, 2020

Letícia estou te conhecendo agora e achando o máximo! Apesar de ser bem mais velha que vc me identifico com o que vc faz e pensa! Parabéns também pela maneira que escreve

Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.