O PODER TRANSFORMADOR DA ÍNDIA

por Leticia Sales maio 18, 2020

o poder transformador da india

 Eu era a pessoa mais improvável para vir para a Índia. Nunca fui da meditação, do yoga. Na verdade, até 7 anos atrás, eu jamais imaginaria que algum dia pisaria aqui. Era uma típica jovem brasileira em seus cerca de 25 anos. Recém formada, vaidosa, adorava uma balada todo final de semana, usando minhas maquiagens coloridas, saias curtas e saltos altos. Tinha um certo preconceito com a Índia e viagem, para mim, se resumia a países desenvolvidos, onde tudo era organizado, limpo e perfeito.

Me formei na faculdade de moda em São Paulo, e estava no auge da minha vida de solteira, saindo com as amigas e curtindo minha independência. Sem dúvidas, vivia a melhor época da minha vida. Mas aí chegava a segunda-feira e os dias no trabalho pareciam intermináveis.

Desde que me formei, trabalhava com marketing de moda em uma sala sem janelas, e não poder ver a cor do céu ou a luz do dia me fazia muito mal. Me sentia um pássaro preso em uma gaiola. Tinha carro, morava em um apartamento lindo com a minha irmã. Era uma vida dos sonhos. Mas, por dentro, me sentia incompleta. Comecei a passar os dias no trabalho vendo fotos de tantos lugares pelo mundo e imaginar o que eu estava fazendo ali.

Começou a bater uma vontade incontrolável de realizar o meu mais antigo sonho de infância: morar no exterior e conhecer o mundo. Não queria parar de trabalhar, então a solução foi fazer um intercambio de trabalho, tipo estágio no exterior. Comecei a abrir a mente e apliquei para lugares como Hungria e Turquia, mas os recrutadores da Índia começaram a me chamar. Por acaso, a Índia era o país que tinha mais vagas para trabalhar com moda e, eventualmente, resolvi dar uma chance. Afinal, o Brasil era um país com reputação ruim no exterior – de ser violento e pobre. Será que a Índia seria apenas o que a mídia falava?

Todo mundo que já havia morado aqui me dizia que seria a experiência mais difícil, mas a melhor e mais transformadora da minha vida. Como é que algo difícil podia ser bom ao mesmo tempo? Comecei a ficar intrigada. Mas, veja bem, tem um truque. Para a transformação acontecer, você precisa se despir.

Precisa se despir de todos os seus preconceitos e pré-conceitos. Precisa vir de coração aberto, como uma folha em branco, como se não soubesse nada sobre coisa alguma e tivesse acabado de renascer. Precisa se render, se entregar à experiência.

E aí, ela entra em você como uma avalanche. Implacável, com uma força tremenda, impossível de ser parada ou ignorada. E, aos poucos, você reaprende TUDO sobre o mundo. Reaprende o que é religião, o que é o poder de um templo que toca a profundeza da sua alma assim que você entra nele. Reaprende o que é o sabor da comida quando, a cada mordida, tenta decifrar a explosão de sabores e aromas em sua boca...e tantos outros reaprendizados.

E você repensa qual é o seu papel no mundo. Eu mudei demais depois de vir morar aqui. Todo mundo me disse isso. Na verdade, eu não sei mais quem era antes de ter vindo para cá. Justo eu que, antes de vir, nunca tinha dado muita bola para esse país tao diferente e longínquo.

Todo mundo, uma vez na vida, deveria vir para a Índia. Porque a Índia te ensina a ser humano, a viver de verdade. Sem dúvidas, a experiência mais transformadora da minha vida.




Leticia Sales
Leticia Sales

Autor



Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.