10 coisas que aprendi morando na Índia

por Leticia Sales Fevereiro 21, 2017 3 Comentários

10 coisas que aprendi morando na Índia

Recentemente voltei da Índia, após morar lá por 3 anos. Ainda passarei alguns meses por ano lá, mas oficialmente volto a morar no Brasil. As pessoas frequentemente me perguntam como é a vida lá, e a resposta não é curta ou simples, então tentarei listar aqui 10 coisas que aprendi morando por lá. Você também pode conferir outros posts sobre a experiência de morar na Índia, ou sobre a cultura indiana em geral.

 

1. Terra de contrastes

    10 coisas que aprendi morando na Índia

    Se tem uma palavra que define bem a Índia é contraste. Riqueza x pobreza, paisagens monocromáticas x roupas com cores exuberantes, o barulho das ruas x o silêncio dos centros de meditação, a alegria de descobrir coisas novas todos os dias x a dificuldade para superar o choque cultural, as casas simples x a arquitetura histórica incrivelmente detalhada, templos e casas limpas x ruas sujas, os palácios exuberantes x a população humilde.

     

    2. Simplesmente complicado

    criança indiana

    Existe um jeito incrivelmente descomplicado de viver. Aparência não importa muito, bens materiais não importam muito. Muitas pessoas não possuem grandes aspirações; o que o destino lhe trouxer você aceita e é feliz com isso, sendo rico ou pobre. Mas por trás dessa simplicidade, existe uma complicada estrutura em que as pessoas devem casar com pessoas específicas, ter trabalhos específicos, possuir um estilo de vida aceitável pelo resto da sociedade. Homossexualismo é complicado, casar com pessoas de diferentes castas ou religiões é complicado, quebrar o status quo é complicado. Essa complicada simplicidade também se reflete em situações do cotidiano.

    Por exemplo, chegar a qualquer lugar é fácil, pois existe uma infinidade de meios de transporte, mas barganhar o valor ou tentar comprar passagens torna tudo difícil (ainda mais sendo estrangeiro). Escolher roupa é outro simples complicado. Vale até ir de pijama e chinelo na academia, mas mostrar muito as pernas ou os ombros sendo mulher requer atenção. Mostrar a barriga pode, mas os ombros não. Não pode comer carne bovina, mas a Índia exporta mais carne bovina do que o Brasil. Por que isso acontece? Explicar seria simplesmente complicado.

     

    3. Espiritualidade não é aula de yoga

      yoga no caos indiano

      Crédito: theartofyoga.org

      Vários adeptos ocidentais de meditação de yoga chegam na Índia achando que é tudo sereno e zen, e levam um belo choque ao se deparar com o caos e barulho incessante das ruas, o lixo espalhado pelo chão. Descobrem que é bem mais fácil ser espiritualizado e sereno em um ambiente calmo e tranquilo. Leva um bom tempo, mas uma hora você percebe que a espiritualidade existe sim. Ela é justamente o que está dentro de você, e não no mundo exterior. Ela está presente na grande população que acorda às 05:30 ou 06 da manhã para caminhar nas ruas, presente nas pessoas que ajudam ao próximo mesmo tendo muito pouco, presentes no jeito tranquilo de viver a vida, no incenso e orações que emanam das casas todas as manhãs, nas pessoas que alimentam os animais soltos nas ruas, nos vizinhos que deixam a porta de casa aberta sem medo de ser feliz. Um belo dia você acorda e percebe que o barulho e o caos já não te incomodam mais, pois dentro de você, está em paz.

       

      4. Patriotismo é bom e todo mundo gosta

        10 coisas que aprendi morando na ÍndiaEssa é uma belíssima lição de vida para os brasileiros. Não importa se você é rico ou pobre, se é afortunado ou se veio de uma vila rural no meio do nada, se teve uma vida fácil ou difícil. Apesar de todos os problemas sociais do país, os indianos são MUITO orgulhosos de sua pátria, de sua cultura, de tudo! No Brasil a gente tem complexo de vira-lata, se acha inferior a europeu ou americano, mas os indianos tem um baita sentimento de nacionalismo, e muitos até mesmo rejeitam a cultura ocidental. Amam suas músicas, seus filmes, seus hábitos, sua história, e o Dia da Independência é celebrado todos os anos com muita festa e bandeiras do país.

         

        5. Pobreza não é sinônimo de violência

          10 coisas que eu aprendi morando na Índia

          Típica casa de classe média alta em Jaipur: sem câmeras, nem cerca elétrica, nem arame farpado.

          Essa desafia muita coisa que a gente ouve no Brasil. Que a violência no país é alta por causa da pobreza, que é tudo culpa da desigualdade social e blá blá blá. Na Índia, existem ao menos 200 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza (mais do que a população inteira do Brasil) e, no entanto, não se vê muitas casas com arame farpado, cerca elétrica, câmeras para todos os lados, carros blindados, pessoas com segurança particular. Morando lá por 3 anos tendo uma baita cara de gringa, nunca corri o risco de ter o celular roubado, já andei na rua com grandes quantias de dinheiro sem medo, não tive medo de assalto, roubo ou latrocínio. Meus vizinhos passam o dia inteiro com a porta de casa escancarada, pra qualquer um entrar e ficar à vontade.

           

          6. O que é masculinidade?

            ator de bollywood dançando

            Ranveer Singh, um dos mais famosos atores - e melhores dançarinos - de Bollywood, símbolo de masculinidade no país.

            No Brasil, existe aquele conceito latino de masculinidade. Homem não dança, homem não chora, homem não usa roupa colorida, homem não ouve música pop, homem não usa brilho. Enfim, parece que homem “de verdade” não pode fazer nada além de ouvir rock, tomar cerveja e gostar de futebol. Na Índia, isso (graças a DEUS!) não existe. Homem chora, ouve música pop (meus amigos adoram Enrique Iglesias!), usa roupas super coloridas, AMA dançar (até apostam em quem dança melhor), se casa usando roupas mega brilhantes e bordadas, e nem por isso são menos másculos do que os outros. E, sinceramente, isso tudo é o máximo! 

             

            7. Você não precisa de tudo o que tem

              Fui viver com salário de estagiária de menos de 700 reais por mês. Todos os meus pertences se resumiam a duas malas com roupas. Não tinha carro, morava em um apartamento simples, dividia quarto (e cama), minhas roupas estavam sempre rasgadas e meus sapatos sempre estragados. Parei de comprar roupas, quase não usava maquiagem, nunca tinha dinheiro para nada. E nunca fui TÃO FELIZ com tão pouco. Aprendi que as pessoas que temos ao nosso redor fazem tudo valer a pena, e que realmente não precisava de tantos bens materiais para ser feliz.

               8. Humildade = adaptação

              Humildade é a chave da adaptação. Existem pessoas que chegam na Índia abertas a novas experiências, e pessoas que chegam com um pré-conceito já formado sobre o país e mal duram uma semana ou poucos meses por lá. A Índia vai desafiar até o seu último fio de cabelo e abalar a sua alma mais do que você consegue imaginar. Existem pessoas que nunca conseguem se adaptar e apenas criticam o país, a sujeira, o barulho, mas a verdade é que por trás do choque cultural e das dificuldades, existe um país MARAVILHOSO, uma cultura extremamente rica, comida deliciosa, pessoas amáveis e lugares incríveis...mas você só vai perceber tudo isso se estiver de coração verdadeiramente aberto à experiência e conseguir aceitar que o jeito que você vive não é o certo e único, mas sim que existem diferentes maneiras de viver a vida e ver o mundo. Afinal, 1 bilhão de pessoas vivem lá, então você também pode. Basta ter a cabeça aberta para aceitar um novo jeito de ver o mundo.

               

              9. Same same but different
              10 coisas que aprendi morando na Índia

              Alguns dos muitos idiomas da Índia

              No final do ano, o Peeyush veio para o Brasil e ficou perplexo como é possível um país tão grande falar um único idioma, e ao mesmo tempo ter pessoas de etnias tão diferentes. A Índia é o oposto. Possui uma etnia relativamente homogênea, mas muitos idiomas oficiais, paisagens que vão do deserto aos Himalaias e várias nuances culturais nos diferentes estados que tornam tudo diferente, mas ao mesmo tempo, semelhante.

              10. Resiliência é a chave

              Essa também vale pra todo tipo de comida suspeita.Não é uma experiência fácil. Você vive várias situações onde pensa ter chegado ao seu limite, pensa que não consegue mais, pensa em desistir, leva tapa após tapa na cara, mas no final do dia você aguenta, porque sempre haverá um amanhã, um novo dia pra começar tudo de novo. E assim, dia após dia, situação após situação, você se torna mais forte, de um jeito que nunca conseguiu imaginar.

              Gostou? Confira nossos outros posts de viagem!

               

              Happee: acessórios feitos à mão na Índia




              Leticia Sales
              Leticia Sales

              Autor



              3 Respostas

              gleisete
              gleisete

              Setembro 20, 2018

              Adorei sua descricao da India… Ja tinha tentado varias vezes, e nao achava definicoes….
              Muito bom seu trabaljho!!

              Loraine Oliveira
              Loraine Oliveira

              Julho 11, 2018

              Olá. Tudo bem? Adorei as descrições e experiências que li em seu blog. Muito interessante… Sempre leio, pesquiso algo sobre a Índia e até assisto muito no youtube pessoas que visitam e fazem um vlog. Sou apaixonada pela cultura, sou louca para visitar e até me vejo morando!!! :-) Espero obter esta experiência. Realmente deve ser um choque de realidade. Amo os filmes e as músicas indianas e vivo cantando! Hahahahaha… E o povo que vê acha estranho! É algo que me fascina e não sei explicar! Sei muito do que rola na Índia e entendo o preconceito das pessoas com o local, mas, eu não vejo o externo, mas, o interno. Continue nos contando mais… ok? Beijos no coração.

              Loraine Oliveira
              Loraine Oliveira

              Julho 11, 2018

              Olá. Tudo bem? Adorei as descrições e experiências que li em seu blog. Muito interessante… Sempre leio, pesquiso algo sobre a Índia e até assisto muito no youtube pessoas que visitam e fazem um vlog. Sou apaixonada pela cultura, sou louca para visitar e até me vejo morando!!! :-) Espero obter esta experiência. Realmente deve ser um choque de realidade. Amo os filmes e as músicas indianas e vivo cantando! Hahahahaha… E o povo que vê acha estranho! É algo que me fascina e não sei explicar! Sei muito do que rola na Índia e entendo o preconceito das pessoas com o local, mas, eu não vejo o externo, mas, o interno. Continue nos contando mais… ok? Beijos no coração.

              Deixe um comentário

              Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.